TOP
Brasil

BASF, AMAGGI e RTRS realizam estudo sobre importância da certificação na cadeia da soja

  • Certificação RTRS gera benefícios concretos para produtores e empresas ao longo da cadeia de valor da soja
  • O estudo, desenvolvido pela Fundação Espaço ECO®, entrevistou produtores de soja certificada e outros integrantes da cadeia agrícola  
  • As próximas etapas do estudo serão: quantificar os benefícios da certificação e desenvolver um sistema para fornecer informações diferenciadas ao produtor

São Paulo, 13 de julho de 2017 – O volume de soja certificada no Brasil cresceu 23% em 2016. Atualmente, o país representa 70% do total certificado no mundo. Nesse sentido, a BASF, empresa química líder em inovação, em conjunto com a AMAGGI e a Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS) viabilizaram um estudo para verificar os ganhos ambientais, sociais e econômicos em lavouras de soja certificada pela RTRS. A Associação promove a produção, processamento e comercialização responsável da oleaginosa em nível global. O objetivo da iniciativa é fazer um diagnóstico sobre como a certificação fomenta a sustentabilidade em toda a cadeia agrícola.

“A BASF acredita nos benefícios da certificação RTRS para o agricultor. E o estudo vem demonstrar que esse processo traz ganhos reais de produtividade, redução de custos e mais segurança, o que contribui para aumentar o potencial competitivo da soja brasileira”, afirma Daniela Ferreroni, gerente de Comunicação e Sustentabilidade da Unidade de Proteção de Cultivos da BASF no Brasil.

O estudo foi aplicado pela Fundação Espaço ECO® (FEE®), consultoria para sustentabilidade que desenvolve projetos customizados para avaliação dos impactos econômicos, ambientais e sociais de produtos ou processos e otimização de recursos. Em um primeiro momento a equipe da FEE® reuniu, por meio de uma ampla pesquisa bibliográfica, os benefícios mais comuns associados à certificação de soja, além dos temas críticos e questões de interesse dos tomadores de decisão da cadeia agrícola.  

Na sequência, foram entrevistados 32 produtores de soja certificada pela RTRS nas regiões de Mato Grosso, Goiás e Matopiba (com foco nos estados de Maranhão e Bahia) e 12 representantes de outros setores da cadeia de valor, como exportadores, indústrias, sociedade civil, entre outros.

“As respostas comprovaram que o processo de certificação ajuda a operacionalizar e a manter as iniciativas sustentáveis nas fazendas. Essa compreensão contribuiu para um padrão de produção responsável no Brasil, um dos maiores fornecedores de soja do mundo”, ressalta Rodolfo Viana, diretor-presidente da Fundação Espaço ECO® (FEE®).

Entre os diversos impactos positivos percebidos após a certificação, a maioria dos produtores vê como benefício imediato a melhora na "organização" geral da fazenda, tanto na infraestrutura como nos processos internos. A segurança em relação à interpretação e ao cumprimento da legislação foi frequentemente mencionada. Também foi verificado que os produtores rurais têm utilizado os créditos recebidos pela soja certificada para investir em capacitação e treinamentos dos seus funcionários.

Os outros setores como exportadores, indústrias e sociedade civil entendem que a certificação é uma ferramenta importante para o gerenciamento de riscos, garantindo a origem responsável da soja, respondendo à legislação dos países importadores e aumentando a transparência na cadeia de suprimentos. Também gera valor em termos de imagem e reputação, demonstrando compromisso com exigências de mercado e acionistas. Além disso, impulsiona o desenvolvimento da cadeia de valor e a melhoria contínua, facilitando o diálogo entre públicos de diferentes setores.

A AMAGGI foi a primeira empresa do mundo a receber a certificação da RTRS. “Para o grupo, as certificações são essenciais para agregar valor à cadeia e garantir que os clientes estão comprando um produto ambiental, social e economicamente correto”, afirma Juliana Lopes, diretora de Sustentabilidade e Comunicação da AMAGGI.

O diagnóstico também mostrou que os principais desafios para a certificação estão relacionados à mudança de mentalidade e engajamento dos envolvidos no processo, o desenvolvimento de uma visão de gestão mais robusta dentro da fazenda, bem como a necessidade de enxergar os custos de adequação geral como investimentos de longo prazo.

“Estamos trabalhando em conjunto com empresas comprometidas como BASF e AMAGGI para acelerar a produção, comercialização e logística de soja sustentável por meio de um profundo conhecimento dos impactos que a certificação RTRS tem para produtor, sociedade e todos os atores envolvidos. O próximo passo do estudo será definir indicadores prioritários para o produtor e desenvolver um sistema consistente de monitoramento e avaliação que possa ajudar a acompanhar o progresso, proporcionar mais transparência, medir e monitorar para finalmente gerar informações de alta qualidade que auxiliem no processo de tomada de decisão”, afirma Marcelo Visconti, diretor-executivo da Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS).

Sobre a Divisão de Proteção de Cultivos da BASF

Com uma população em rápido crescimento, o mundo está cada vez mais dependente da nossa capacidade de desenvolver e manter uma agricultura sustentável e ambientes saudáveis. A divisão de Proteção de Cultivos da BASF trabalha com agricultores, profissionais agrícolas e especialistas em manejo de pragas para ajudar a tornar isso possível. Com a cooperação desses parceiros, a BASF é capaz de sustentar um robusto pipeline de P&D, um portfólio inovador de produtos e serviços e equipes de peritos no laboratório e em campo para apoiar nossos clientes no sucesso dos seus negócios. Em 2016, a divisão de Proteção de Cultivos da BASF gerou vendas de mais de € 5,6 bilhões. Para obter mais informações, visite-nos em www.agro.basf.com ou por meio de nossos canais de mídias sociais.

Sobre a BASF

Na BASF, nós transformamos a química para um futuro sustentável. Nós combinamos o sucesso econômico com a proteção ambiental e responsabilidade social. O Grupo BASF conta com aproximadamente 114 mil colaboradores que trabalham para contribuir com o sucesso de nossos clientes em quase todos os setores e países do mundo. Nosso portfólio é organizado em 5 segmentos: Químicos, Produtos de Performance, Materiais e Soluções Funcionais, Soluções para Agricultura e Petróleo e Gás. A BASF gerou vendas de mais de € 58 bilhões em 2016. As ações da BASF são comercializadas no mercado de ações de Frankfurt (BAS), Londres (BFA) e Zurich (AN). Para mais informações, acesse: www.basf.com.br.

Sobre a Fundação Espaço ECO®

A Fundação Espaço ECO® (FEE®) é uma consultoria para sustentabilidade, que desenvolve projetos customizados para Organizações atingirem suas metas de sustentabilidade demandadas pelo mercado. A FEE® aplica metodologias que medem os impactos econômicos, ambientais e sociais com base no conceito de Avaliação de Ciclo de Vida (ACV), gerando resultados tangíveis que irão apoiar a decisão de gestores. Além disso, a FEE® oferece soluções no apoio à certificações e protocolos, projetos de conservação ambiental, suporte na elaboração de programas corporativos em diversidade e inclusão, e na medição e concepção de projetos de valor compartilhado. Sua motivação é resolver os desafios de uma sociedade em constante evolução, otimizando a utilização de recursos.  Criada e mantida pela BASF desde 2005, atua como uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) reinvestindo os recursos obtidos no financiamento de estudos, pesquisas e ações que beneficiarão a sociedade ou um setor. Conheça mais em: www.espacoeco.org.br e em www.facebook.com/fundacaoespacoeco

Sobre a RTRS

Fundada em 2006, a Associação Internacional de Soja Responsável (RTRS) é uma iniciativa internacional pioneira formada pelos principais representantes da cadeia de valor da soja, como produtores, indústria, comércio, finanças e a sociedade civil. Os atores dessas diferentes áreas se reúnem em torno de um objetivo comum, garantindo o diálogo e a tomada de decisão por consenso. A missão da entidade é promover o uso e o crescimento da produção sustentável de soja e, por meio do Padrão RTRS de Produção Responsável da Soja, aplicável mundialmente, garantir uma produção ambientalmente correta, socialmente adequada e economicamente viável. É hoje o sistema mais confiável e avançado do mercado de soja brasileiro para alcançar a sustentabilidade. Atualmente a RTRS conta com mais de 200 membros dos países do mundo inteiro. Os princípios e critérios da RTRS são o único padrão multipartes que garante o Desmatamento Zero na produção de soja responsável. www.responsiblesoy.org/pt.

Sobre a AMAGGI

Fundada em 1977, a AMAGGI está presente em todas as regiões do Brasil e em países como Argentina, China, Holanda, Noruega, Paraguai e Suíça. Atualmente, a empresa desenvolve negócios em áreas como logística, energia, produção agrícola, commodities e navegação, empregando diretamente mais de 4,8 mil colaboradores. Saiba mais em www.amaggi.com.br

 

Last Update 13 de Julho de 2017