TOP
22 de Dezembro de 2017
Brasil

BASF apresenta programa de valor compartilhado que auxilia o produtor de batatas no Peru

  • O programa Allin Kawsay contribui com o desenvolvimento social da região produtora e promove negócios rentáveis na cadeia de valor
  •  A empresa busca estabelecer parcerias estratégicas com diferentes setores para aprofundar o impacto positivo do programa

 A BASF, empresa química líder em inovação, lançou o programa Allin Kawsay, que tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos produtores de batata do Peru, por meio da promoção de boas práticas agrícolas que possibilitem um melhor desempenho do cultivo.

O PROGRAMA

Allin Kawsay significa bem-estar ou bem viver e teve como ponto de partida o estado de Huánuco, considerado o pioneiro na produção de batata no Peru. Trata-se de um projeto de valor compartilhado que contribui com o desenvolvimento social, promovendo paralelamente negócios rentáveis na cadeia de valor.

Luis Fernando Martínez, diretor da Unidade de Proteção de Cultivos da BASF na América Latina, ressaltou que grande parte da população que vive nas comunidades alto andinas da serra central do Peru são de pequenos produtores de batata que estão mais isolados dos grandes centros urbanos. Com o programa Allin Kawsay, a BASF busca contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos agricultores, aumentando e melhorando a produção dos seus cultivos por meio de soluções inovadoras que vão além do manejo fitossanitário.

PROGRAMA SUSTENTÁVEL

O programa é feito em parceria com entidades governamentais como os Ministérios da Agricultura, do Desenvolvimento e Inclusão Social do Peru e o Instituto Nacional de Inovação Agrária. A BASF também buscará estabelecer parcerias estratégicas com o setor privado em áreas que gerem um maior acesso ao mercado e, consequentemente, agregue valor à produção.

“Queremos que o Allin Kawsay tenha vida própria. Há algumas fases adicionais do programa que buscam agregar valor à colheita. Temos que participar no grande mercado nacional, e para isto, precisamos de investimento. Nós, na BASF, somos os criadores do programa, mas este é um trabalho no qual todos temos que participar; e estamos abertos para receber quem queira contribuir e compartilhar”, destacou Luis Fernando Martinez.

COMUNIDADE

O programa foi planejado com uma metodologia específica para facilitar o acesso aos agricultores que moram de forma dispersa. Após um acompanhamento detalhado, a BASF conseguiu identificar 30 Amautas, chamados assim por sua atribuição de líderes agricultores em sua comunidade. Eles receberam treinamento e foram os responsáveis por transmitir aos pequenos produtores as informações sobre o Allin Kawsay, fomentando assim o interesse da comunidade em participar do programa.

Posteriormente, os agricultores receberam capacitação sobre boas práticas agrícolas envolvendo técnicas de plantio e colheita que já estão em expansão nas comunidades.

ETAPAS DO PROGRAMA

Mais de 3500 agricultores das províncias de Pachitea, Ambo, Yarowilca, Huánuco e Chinchao receberam treinamento durante a primeira fase do programa.

O Allin Kawsay está no início da sua segunda etapa e tem a meta de ser replicado para outros estados peruanos. A expectativa é de capacitar aproximadamente 13 mil agricultores, podendo chegar a 26 mil agricultores capacitados durante a terceira e última etapa do projeto.

ALLIN KAWSAY EM NÚMEROS

Um agricultor de batata treinado pelo programa Allin Kawsay pode aumentar e melhorar a sua produção em aproximadamente 50%, podendo chegar, inclusive, a duplicá-la.

600 agricultores de batata participam nesta segunda etapa. O plantio ocorreu entre os meses de setembro e outubro deste ano.

·         A colheita será entre os meses de março e abril de 2018. Nesse período o programa divulgará os resultados obtidos pelos agricultores.

Participam do programa agricultores das províncias de Ambo, Pachitea, Yarowilca, Huánuco e Chinchao.

·         Ao término do programa, a estimativa é impactar um terço do total de agricultores de batata da Região Huánuco, que conta com aproximadamente 75 mil agricultores de batata.

CULTIVO DE BATATA NO BRASIL

Em 2018, a BASF apresentará um projeto para o cultivo de batata no Brasil. O programa tem o objetivo de aumentar a competitividade da produção de batata e deve envolver todos os elos da cadeia. 

Sobre a Divisão de Proteção de Cultivos da BASF

Com uma população em rápido crescimento, o mundo está cada vez mais dependente da nossa capacidade de desenvolver e manter uma agricultura sustentável e ambientes saudáveis. A divisão de Proteção de Cultivos da BASF trabalha com agricultores, profissionais agrícolas e especialistas em manejo de pragas para ajudar a tornar isso possível. Com a cooperação desses parceiros, a BASF é capaz de sustentar um robusto pipeline de P&D, um portfólio inovador de produtos e serviços e equipes de peritos no laboratório e em campo para apoiar nossos clientes no sucesso dos seus negócios. Em 2016, a divisão de Proteção de Cultivos da BASF gerou vendas de mais de € 5,6 bilhões. Para obter mais informações, visite-nos em www.agro.basf.com ou por meio de nossos canais de mídias sociais.

Sobre a BASF

Na BASF, nós transformamos a química para um futuro sustentável. Nós combinamos o sucesso econômico com a proteção ambiental e responsabilidade social. O Grupo BASF conta com aproximadamente 114 mil colaboradores que trabalham para contribuir com o sucesso de nossos clientes em quase todos os setores e países do mundo. Nosso portfólio é organizado em 5 segmentos: Químicos, Produtos de Performance, Materiais e Soluções Funcionais, Soluções para Agricultura e Petróleo e Gás. A BASF gerou vendas de mais de € 58 bilhões em 2016. As ações da BASF são comercializadas no mercado de ações de Frankfurt (BAS), Londres (BFA) e Zurich (AN). Para mais informações, acesse: www.basf.com.br.

 

Last Update 22 de Dezembro de 2017