TOP
Brasil

Benefícios do ômega 3

Estudo publicado pela Nutrition Review revela que o tratamento da doença hepática gordurosa de origem não alcoólica (DHGNA) por meio da ingestão de ácidos graxos poli-insaturados ômega 3 de cadeia longa resulta em melhorias estatisticamente significativas em diversos parâmetros da doença, como o teor de gordura no fígado o marcador de esteatose (degeneração gordurosa) e outros indicadores de risco cardiometabólico. A revisão de 18 estudos de intervenção controlada avaliou a eficácia dos ácidos graxos poli-insaturados ômega 3 de cadeia longa (n-3 LC-PUFA) em pacientes adultos e pediátricos diagnosticados com doença hepática gordurosa de origem não alcoólica (DHGNA).

O objetivo desta revisão foi avaliar sistematicamente os efeitos dos n-3 LC-PUFA, em particular, o ácido eicosapentaenóico (EPA) e o ácido docosahexaenóico (DHA), em indicadores metabólicos e relacionados ao fígado em pacientes adultos e pediátricos com a doença. De acordo com o relatório, a ingestão diária mínima efetiva é de 250 mg de DHA em pacientes pediátricos e aproximadamente 3,0 g de EPA e DHA em pacientes adultos. Os autores concluíram que os pacientes adultos e pediátricos que sofrem da doença DHGNA devem ser incentivados a aumentar sua ingestão de n-3 LC-PUFA, além de seguir um plano de dieta adequado e aumentar os níveis de atividade física.

Outros estudos mostraram que pacientes com DHGNA manifestam baixos níveis de EPA  e DHA em comparação com pacientes sem DHGNA.[i] Em fevereiro de 2018, a BASF lançou ao mercado o Hepaxa™, nos Estados Unidos, como o primeiro produto específico para o tratamento dietético de pessoas com doença hepática gordurosa de origem não alcoólica. O Hepaxa aumenta os níveis desses ácidos graxos importantes nesses pacientes, o que melhora a capacidade do fígado para processar a gordura.

O Hepaxa é fabricado com uma tecnologia de purificação patenteada que remove poluentes orgânicos persistentes e outros lipídios indesejados, como o colesterol, que são encontrados naturalmente em muitos produtos à base de óleo de peixe. A pesquisa mostrou que um contaminante específico, o PCB 153, é particularmente perigoso para os pacientes com DHGNA. Como a função hepática dos pacientes com DHGNA é afetada, é importante limitar a exposição a contaminantes indesejados que estão naturalmente presentes em muitos óleos de peixe menos refinados. O Hepaxa se destaca por seu excelente perfil de segurança. Obteve o reconhecimento GRAS (“Geralmente reconhecido como seguro”, na sigla em inglês) para uso como produto de nutrição clínica para tratamento dietético da DHGNA, com uma dose de até 3 g/dia de EPA e DHA, tanto para adultos quanto para crianças de 10 anos ou mais.

O Hepaxa está disponível sob supervisão médica como um produto de nutrição clínica nos EUA para pacientes com 10 anos de idade ou mais com a doença hepática gordurosa de origem não alcoólica. É distribuído em todo o país através da DIEM Labs, LLC. Os médicos e profissionais de saúde podem solicitar documentação e amostras do produto e os pacientes podem encontrar informações para compartilhar com seus médicos em www.Hepaxa-USA.com.