TOP
Brasil

O uso de enzimas melhora a produtividade e promove sustentabilidade na produção de aves e suínos

 

Está comprovado que a utilização do produto à base de enzimas para rações, Natugrain TS, na alimentação de aves e suínos atende ao tripé de sustentabilidade, com vantagens significativas nas questões ambientais, sociais e econômicas. O produto promove melhor digestão e amplia o valor nutritivo da alimentação animal, além de trazer outros benefícios importantes. O resultado positivo foi verificado em estudos conduzidos pela BASF em conjunto com a Embrapa:

Social: o produto torna os alimentos mais acessíveis para a sociedade. Hoje, o Brasil produz anualmente cerca de 38 milhões de toneladas de ração de frango. Se toda essa ração fosse tratada com Natugrain TS, haveria uma economia no custo de produção anual de R$ 266 milhões. Já para o mercado de suinocultura, a redução seria de R$ 126 milhões. Essa economia total de R$ 392 milhões refletiria no preço final dos produtos ao consumidor.

Econômico: além da redução do custo com a ração, mencionado no benefício social, a melhora significativa dos índices de conversão alimentar do frango de corte garante maior retorno financeiro ao produtor. A conversão alimentar é um dos grandes desafios da produção: fazer o frango crescer mais, com menos alimento, mas sem prejudicar a saúde e o desenvolvimento do animal. O benefício também é visível em aves de postura por meio da diminuição do consumo de ração por ovo produzido

Ambiental: redução da umidade na excreta dos animais através do menor consumo de água garante uma melhor qualidade da cama de frango e, consequentemente, a melhoria nas condições gerais de higiene. Vale comentar que a qualidade da cama também reduz as lesões nos pés do frango – produto altamente apreciado no mercado asiático e que tem preço significativamente superior quando estão em boa qualidade.

Entendendo a ação das enzimas

A carboidrase Natugrain TS contém enzimas altamente purificadas que garantem melhor ação sobre os ingredientes contribuindo para uma melhoria no aproveitamento dos nutrientes e maior liberação de energia nas rações, elaboradas com cereais ricos em polissacarídeos não amiláceos (PNAs), tais como trigo, cevada, centeio, triticale, aveia, girassol e subprodutos moídos. Também é eficaz em dietas a base de milho/soja, promovendo uma liberação adicional de energia.

Polissacarídeos não amiláceos (PNAs) ou fibras, são componentes praticamente indigestíveis encontrados nas rações utilizadas para a alimentação de suínos e aves. Os seus efeitos antinutricionais reduzem a eficiência da ração, pois dificultam a digestão e aproveitamento de valiosos nutrientes.