TOP
Brasil

Tecnologias garantem sustentabilidade aos processos de mineração

A indústria de Mineração é frequentemente desafiada pelos aspectos relacionados ao uso de água e energia e por conta do impacto ao meio ambiente causado pelas atividades de exploração, extração e pela disposição de rejeitos. As principais inovações tecnológicas na área de separação sólido/líquido estão orientadas a melhorar a eficiência e a sustentabilidade do processo e responder a essas demandas.

O uso de floculantes modificadores de reologia para processos de separação sólido/líquido e para o processo de gestão e deposição de rejeitos ajuda a enfrentar os desafios relacionados à gestão da água na indústria de mineração, podendo oferecer uma contribuição essencial para atingir as metas de economia de água. Seus benefícios incluem a redução do consumo de água nova, maximização da recuperação de água de processo, promover um menor uso de energia, além do potencial para aumentar a vida útil das barragens de rejeito.

A BASF desenvolveu uma ampla linha de polímeros avançados de alto desempenho e que são adequados para utilização no processamento de minerais metálicos e não metálicos. Os produtos da linha RHEOMAX® não são tóxicos ao meio ambiente e ajudam ainda na supressão de poeira de barragens de rejeito, promovem maior velocidade na reabilitação da área e contribuem para a diminuição do uso de água nova nos processos minerais.

A tecnologia RHEOMAX® ETD, por exemplo, aumenta a recuperação de água dos rejeitos depositados nas barragens, possibilitando depósito de maior teor de sólidos para as barragens e reaproveitamento da água que volta para ser utilizada no processo, com boa qualidade. Adicionalmente, e pelo fato de aumentar o teor de sólidos, poderá também contribuir para expandir a vida útil da barragem já que, um rejeito depositado contendo menos água, ocupa menor volume.

Já a linha de floculantes chamada RHEOMAX® DR aplicada em espessadores de rejeito possibilita o aumento da recuperação de água do processo, ajuda a reduzir o volume de água nas barragens, a melhorar o bombeamento além de diminuir as perdas de água por evaporação. Também melhora a produtividade, permitindo transportar o material processado sem problemas de travamento nos equipamentos.

Essas tecnologias sempre devem ser avaliadas em conjunto com a mineradora, especialmente com a área de Geotecnia, pois os rejeitos são muito particulares a cada mina e poderá ter comportamentos futuros diferentes após a deposição na barragem. No Brasil, a BASF possui equipe técnica e comercial dedicadas, além de um laboratório local que garante flexibilidade para fornecer as soluções mais sustentáveis e customizadas para atender às necessidades de processamento de cada cliente.