Cookies nos ajudam a entregar nossos serviços. Ao usar nossos serviços, você concorda com o uso de cookies. Saber mais

Brasil

Tecnologias contribuem para arquitetura funcional e sustentável

Im renommierten Guggenheim Museum in New York können sich Besucher bis Anfang August eine Installation des Künstlers Doug Wheeler ansehen, die aus dem schallabsorbierenden Spezialschaumstoff Basotect® der BASF besteht. 
Das Kunstwerk PSAD Synthetic Desert III (Künstliche Wüste III) verändert den Klang in einem speziell konzipierten Raum mit Hilfe von mehr als 1000 Schaumstoffkörpern in Form von Pyramiden und Keilen, so dass fast alle Umgebungsgeräusche unterdrückt werden.  
Foto: Guggenheim Museum, New York

Until August 2, at New York’s iconic Guggenheim Museum, visitors are invited to experience an installation by artist Doug Wheeler that is made of BASF’s sound-absorbing foam Basotect®. The art work PSAD Synthetic Desert III manipulates sound in a specifically conceived chamber by using more than 1000 pyramids and wedges covering the exhibit’s floor, walls and ceiling and thus suppresses all but the lowest levels of ambient sound.  
Photo: Guggenheim Museum, New York

A arquitetura idealiza os espaços para o uso humano, trabalhando os elementos da construção de forma a criar ambientes seguros que ofereçam conforto, qualidade de vida, além da contribuição estética à vida urbana. Os projetos arquitetônicos levam em conta diversos fatores relacionados à utilização do espaço, como conforto térmico, acústico, luminoso, ergonômico e eficiência energética, visando, inclusive, o desenvolvimento de estratégias de construções ambientalmente adequadas.

Os materiais construtivos inovadores favorecem o trabalho dos profissionais da arquitetura, por garantirem, além dos aspectos funcionais, ampla liberdade de design. Para o conforto acústico, por exemplo, há o recurso da espuma de melamina Basotect que possui elevada capacidade de absorção sonora, leveza e ampla flexibilidade de design. A oferta diversificada de cores e a possibilidade de moldagem em praticamente qualquer forma, permite criar espaços com uma acústica adequada e esteticamente agradáveis.

Sua versatilidade foi explorada na exposição Synthetic Desert III realizada no Museu Guggenheim, que ofereceu um espaço de fuga serena e silenciosa na ruidosa Nova York, manipulando som, luz e espaço em uma "câmara semi-anecóica" (sem eco). Com a mistura entre a química, arte e arquitetura, a atração contou com 400 pirâmides e 600 placas de espuma melamínica cobrindo o assoalho da câmara, paredes e teto, alcançando uma redução de ruído no nível de 10 a 15 decibéis.

Esse tipo de solução também é usada em uma variedade de arquiteturas, construções e aplicações industriais, como escritórios, cinemas, teatros, casas noturnas, casas de máquinas e até nas cabines de elevadores dos arranha-céus de Nova York, onde ela isola o ruído de alguns dos elevadores mais rápidos de até 37 Km/ hora.

O revestimento não oferece risco à saúde e ao meio ambiente e tem ação fungistática, bacteriostática e, principalmente, tem propriedades importantes em relação ao fogo: não propaga chamas e não gera fumaça tóxica em situações de incêndio.

Outro material que de forma direta contribui para a criação arquitetônica são as tintas que, com novas tecnologias, têm oferecido melhores características em relação ao meio ambiente. O mercado já oferece produtos com formulação base água, que não deixa odor durante e após aplicação e contém baixo índice de VOC (Compostos Orgânicos Voláteis). Isto significa que causam menor impacto no meio ambiente e também na saúde dos consumidores.

As soluções à base de água também já foram desenvolvidas para as linhas voltadas ao revestimento de madeiras e metais, com secagem rápida e baixo odor. São tecnologias que reduzem a presença de solventes na composição das tintas, com menor impacto ao meio ambiente além de minimizar problemas alérgicos e de irritação respiratória.

Na categoria de tintas imobiliárias, a Suvinil foi a primeira a ter produtos atestados para utilização em empreendimentos sustentáveis, tendo como referência as diretrizes do LEED (Liderança em Energia e Design Ambiental), conceito criado pelo US Green Building Council (Conselho de Construções Verdes dos EUA). Estas e outras soluções estão em exposição na CasaE, casa de ecoeficiência que tem certificação LEED-NC Gold e é aberta para visitação gratuita.

Giancarlo Tomazim, gerente de estratégia do Time de Indústria de Construção Civil para a América do Sul da BASF