TOP
Brasil

Conhecimento para transformar o futuro

Criar química para um futuro sustentável é o propósito da BASF e, por isso, a empresa apoia iniciativas que contribuem com esse objetivo. Com esse pensamento, a Fundação Espaço Eco, instituída e mantida pela companhia, desenvolveu um treinamento para o uso da RenovaCalc, calculadora de intensidade de carbono na produção de combustíveis renováveis, aplicável a etanol, biodiesel, bioquerosene e biometano. 

A calculadora avalia emissões de gases de efeito estufa nas diferentes etapas do ciclo de vida dos biocombustíveis e faz parte do programa RenovaBio, do governo federal, previsto para entrar em plena operação a partir de 2020.

O RenovaBio fornece uma importante contribuição para o cumprimento dos Compromissos Nacionalmente Determinados pelo Brasil no âmbito do Acordo de Paris; promove a expansão dos biocombustíveis na matriz energética, com ênfase na regularidade do abastecimento de combustíveis; e assegura previsibilidade para o mercado de combustíveis, induzindo ganhos de eficiência energética e de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa na produção, comercialização e uso de biocombustíveis.

“Todos os dias recebemos dúvidas sobre o uso da calculadora e, por isso, a importância de um treinamento para ter bons resultados com o programa”, comenta Marília Ieda da Silveira Folegatti, pesquisadora de avaliação de ciclo de vida da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). “Nos 10 primeiros anos o Renovabio deve reduzir a emissão de gases do efeito estufa em 10,1%. Essa meta será anualizada e terá de ser cumprida pelas distribuidoras”, explica.

Até maio de 2019, a Fundação Espaço Eco realizou cinco edições do curso, com 187 participantes. “Desenvolvemos o treinamento em parceria com a Embrapa, e ele ajuda todos os participantes a preencherem a calculadora com segurança”, acrescenta Michelle Tereza Scachetti, analista de sustentabilidade aplicada da Fundação Espaço Eco.

Para Marcelo Moreira, sócio da Agroicone, empresa responsável pela capacitação de uso desta calculadora, os cursos foram uma iniciativa importante para aproximar os produtores e mostrar que as exigências do RenovaBio para a certificação são acessíveis para as usinas, melhorando os processos, a gestão de riscos e as relações com os fornecedores, com benefício de melhorar a rentabilidade. “Todas as edições do curso tiveram grande procura, e como resultado, percebemos que houve um forte engajamento entre as usinas no processo de certificação”, explica.

Utilizando a calculadora são atribuídas notas diferentes para cada produtor e importador de biocombustível, em valor inversamente proporcional à intensidade de carbono do biocombustível produzido. A nota reflete exatamente a contribuição individual de cada agente produtor para a mitigação de uma quantidade específica de gases de efeito estufa em relação ao seu substituto fóssil (em termos de toneladas de CO² equivalente).

As distribuidoras de combustíveis deverão comprovar o cumprimento de metas individuais compulsórias por meio da compra de Créditos de Descarbonização (CBIO), ativo financeiro negociável em bolsa, derivado da certificação do processo produtivo com base nos respectivos níveis de eficiência alcançados em relação a suas emissões.

Os produtores e importadores de biocombustíveis que aderirem voluntariamente ao programa poderão, a partir dessa produção certificada, comercializar esses créditos. Os distribuidores de combustíveis cumprirão a meta individual compulsória anual ao comprovar a propriedade dos CBIOs em sua carteira.

Faça download e confira case completo