TOP
Brasil

Conexão para a mudança

A BASF tem uma longa história de responsabilidade social e, em 2014, decidiu rever sua estratégia com o objetivo de ampliar o seu impacto positivo ao conectar a resolução de desafios sociais à estratégia de negócio. Foi assim que, em 2015, uma nova estratégia de engajamento social começou a ser implementada com foco em educação científica; empregabilidade; e educação ambiental e proteção dos recursos naturais e da biodiversidade.

A estratégia envolve valor compartilhado e cidadania corporativa e já impactou mais de 233 mil pessoas em 2016 e 2017. Neste último caso, a iniciativa permite apoiar projetos sociais em Guaratinguetá e São Bernardo do Campo, no Brasil; Quinta Normal, em Santiago, no Chile; e Tortuguitas, nas Malvinas Argentinas, no território argentino, onde estão localizadas unidades da BASF. A seleção é feita anualmente por meio de edital público chamado Conectar para Transformar.

As iniciativas selecionadas contribuem ainda para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), de forma a englobar uma visão ambiental, social e econômica. O edital Conectar para Transformar já está em sua terceira edição.

Este é o jeito E da BASF, que une produtividade e sustentabilidade. É assim que criamos química para um futuro sustentável e contribuímos para um mundo que ofereça mais qualidade de vida para todos.

Em 2017 e 2018, 24 projetos foram apoiados nos três países por meio do edital. As ações selecionadas incluem desde a capacitação em panificação para mulheres chefes de família, treinamento para recicladores de base até aulas de robótica para jovens. Conheça, abaixo, algumas delas.

Tortuguitas, Malvinas Argentinas, Argentina

Desde 2017, a Fundación Forge é apoiada pelo edital Conectar para Transformar. Nesse ano, a organização realizou o treinamento de 51 jovens em situação de vulnerabilidade, que puderam aprender sobre gastronomia, hotelaria, turismo e administração. Tudo com a finalidade de aumentar a competividade dos jovens na busca de seu primeiro emprego.

Em 2018, apoiada pelo edital pela segunda vez, a fundação deu continuidade ao trabalho com esses jovens, proporcionando apoio psicológico para que eles mantenham os empregos conquistados. “Nossa expectativa é que, em dezembro de 2018, todos os envolvidos no projeto estejam inseridos no mercado de trabalho”, afirma Marcelo Fernández, da Fundación Forge Argentina.

Guaratinguetá, São Paulo, Brasil

No Brasil, em Guaratinguetá (SP), mais um projeto voltado à educação: a associação Rever Juntos aproxima a robótica de alunos e professores do ensino médio da escola pública José Pereira Éboli. Desde fevereiro de 2018, são promovidas oficinas ministradas por estudantes da Universidade Estadual Paulista (Unesp) com foco no uso do Arduino, uma placa programável que funciona como um microcontrolador e pode ser usada para operar robôs, lixeiras, luzes, temperatura ambiente ou como aparelho de medição.

“Nossa escola é pública e é uma das únicas que possuem o processo voltado para aulas de robótica educacional, visando os desafios atuais da automatização, trazendo a linguagem da indústria 4.0”, afirma a coordenadora de projetos da entidade Rever Juntos, Paula Soares.

Até setembro de 2018, 175 alunos foram capacitados e 20 professores participaram de 33 oficinas. Além disso, 180 familiares puderam entender do que se trata a robótica e como isso impacta nas escolhas dos projetos de vida desses jovens, participando de cinco encontros de socialização. O próximo passo é criar um clube que será gerenciado e conduzido pelos alunos.

São Bernardo do Campo, São Paulo, Brasil

Pão quentinho já sai do forno de cerca de 50 mulheres chefes de família de São Bernardo do Campo. O produto caseiro é vendido, gerando renda para as beneficiadas pelo projeto Mão na Massa, do Instituto Geração Futura, que promove cursos de panificação.

“As aulas são muito importantes para mim e para outras mulheres que dependem delas para ganhar dinheiro. Amo cozinhar e gosto muito de aprender, então juntou o útil e o agradável”, afirma Roberta dos Santos, uma das frequentadoras do curso. Além de lições sobre panificação, as participantes recebem treinamento sobre finanças e saúde e são acompanhadas por uma assistente social.

Quinta Normal, em Santiago, no Chile

Nas imediações de outra unidade da BASF, no Chile, a ação é focada na reciclagem. A Nazca Consultores realiza um trabalho de capacitação, inclusão social e profissionalização dos recicladores de base na comunidade de Quinta Normal. A ação também envolve os moradores que vivem ali.

Os cursos promovidos pela entidade têm como objetivo capacitar essa mão de obra e certificá-la de acordo com as leis municipais. Além disso, o projeto listou os pontos de descarte de resíduos recicláveis e reuniu vizinhos para revitalizá-los.

No total, 300 recicladores foram treinados e 3.200 moradores da região foram impactados pelas melhorias em oito pontos de reciclagem. Outros 150 recicladores foram inscritos em uma plataforma digital (www.recicladoreschile.cl) desenvolvida para promover a articulação desses profissionais por meio da informação atualizada de quem são, onde estão, suas rotas e materiais que coletam. Entre os beneficiados pelo projeto ainda estão 13 empresários e 11 funcionários municipais que receberam capacitação. No total, 3.674 pessoas foram beneficiadas com as ações.

Para mais informações sobre os projetos, escreva para: sustentabilidade@basf.com

Saiba mais sobre o conceito de valor compartilhado no  ConnectTime, o podcast da BASF