Cookies help us deliver our services. By using our services, you agree to our use of cookies. Learn more

Brasil
Sustentabilidade

Campeões de produtividade

Cesb.jpg

Logo no início da safra 2018/19, que começou em setembro de 2018, boa parte dos agricultores brasileiros se inscreveram no Desafio Nacional de Máxima Produtividade de Soja, acreditado pelo CESB – Comitê Estratégico Soja Brasil. O objetivo desta ação, que já está em sua 11ª edição, é propagar informação e conhecimento para que o sojicultor possa atingir novos patamares de produção com rentabilidade e sustentabilidade, evitando assim, abertura de novas áreas. Cada agricultor participante do Desafio do CESB pode inscrever algo entre 2,5 e 10 hectares de sua lavoura de soja que pode ser nas categorias plantio irrigado ou não irrigado.

Passada toda a safra, agricultores que deixaram o legado de altos rendimentos neste período receberam em Londrina/PR o reconhecimento do CESB, que a todo momento os estimulou a aumentarem a produtividade de suas lavouras de soja fazendo uso de boas práticas agrícolas, não dependendo apenas de uma ferramenta e sim de um conjunto de tecnologias que vão desde a escolha de material genético (sementes), bom manejo de perfil/fertilidade de solo, uso correto de defensivos agrícolas (sanidade das plantas), até a diversificação de cultivos.

“É na colheita que são verificadas se todas as ações realizadas durante o ciclo de desenvolvimento da soja, desde a escolha das sementes, a preparação do solo para o plantio e o manejo fitossanitário foram bem planejados. Se todas as boas práticas foram feitas adequadamente, o agricultor pode atestar em produtividade a eficiência das suas soluções”, comenta Hélio Cabral, gerente de Marketing Soja da BASF.

Pela oitava safra consecutiva as tecnologias desenvolvidas pela divisão de Soluções para Agricultura da BASF contribuíram para a conquista de vencedores do Desafio do CESB. Nos últimos anos, 21 campeões de produtividade fizeram o manejo correto para alcançar altas produtividades e colher mais soja por hectare. A empresa participa do evento desde sua primeira edição, na safra 2008/2009.


Confira os campeões que utilizaram Soluções BASF:

Infografico_Case_CESB.png

Campeão Sul Sequeiro – O campeão nacional de sequeiro, isto é, plantação em solo firme, foi o sojicultor Rafael Tolotti, da fazenda Tolotti, localizada no município de Erval Seco/RS. A área inscrita no Comitê alcançou produtividade de 123,5 sacas de soja por hectare utilizando tratamento de sementes com Standak® Top, fungicidas Orkestra® SC, Ativum® e Versatilis® e o inseticida Fastac® Duo. “Com o apoio da BASF na tomada de decisão para um controle fitossanitário eficiente do começo ao fim, utilizamos as soluções corretas e eficientes na hora certa e alcançamos a melhor sanidade na lavoura”.

Campeão Sudeste Sequeiro – Matheus Grossi Terceiro, da fazenda Cedro, em Patrocínio/MG, registrou produtividade de 110,45 sacas por hectare com o uso de tratamento de sementes com Standak® Top, fungicida Ativum® e o inseticida Pirate®. Ele também é campeão de produtividade no Sudeste com 110,45 sacas por hectare e pretende alcançar a marca de 150 nos próximos anos. O produtor tem 26 anos e é filho de uma das grandes famílias que iniciaram o cultivo de soja no Cerrado na década de 1970. “A alta produtividade é resultado de todas as práticas agrícolas adotadas ao longo do ciclo”, pondera.

Campeão Norte/Nordeste Sequeiro – João Antônio Gorgen, da fazenda Barcelona, em Riachão das Neves/BA, atingiu produtividade de 96,89 sacas por hectare usando o tratamento de sementes com Standak® Top, e os fungicidas Orkestra® SC, Ativum® e Status®. Para Edinei Fugalli, consultor da fazenda do campeão Norte/Nordeste, as ações tomadas já no início no plantio, resultaram no prêmio de alta produtividade da região. “O objetivo foi focar na parte estrutural e biológica do solo, e utilizar produtos específicos para combater no momento eficiente as doenças especificas”, destaca.

Campeão Nacional Sul Irrigado – Maurício De Bortoli, da fazenda Sementes Aurora, no município de Cruz Alta/RS, obteve produtividade de 123,88 sacas por hectare com o uso do tratamento de sementes com Standak® Top e dos fungicidas Orkestra® SC e Versatilis®. Para se ter ideia da importância do manejo para o aumento da produção, o resultado registrado pela família está 130% acima da média nacional de produtividade de soja, que é em torno de 53 sacas por hectare. “O manejo eficiente se destaca como o principal diferencial de quem alcança produtividade recorde”, finaliza.

Hélio Cabral pontua que todos os agricultores campeões do CESB possuem em sua área comercial produtividade acima da média nacional, que hoje é de 54 sacas por hectare. “Atestado o manejo eficiente, muitas práticas tecnológicas usadas nas áreas do desafio acabam sendo utilizadas em toda lavoura, proporcionando mais rentabilidade e longevidade das lavouras de soja”.

O grande desafio desses atores é alcançar, sem a necessidade de novas áreas agricultáveis e com ajuda das tecnologias, maiores patamares de produtividade e rendimento. Nesse sentido, a Divisão de Soluções para Agricultura da BASF é uma das aliadas do agricultor para que ele tenha mais sustentabilidade no campo, além de ajudá-lo no cultivo de alimentos cada vez mais saudáveis, seguros e acessíveis, por meio de soluções inovadores em sementes e defensivos agrícolas.

Os resultados positivos alcançados no Desafio CESB de Máxima Produtividade reforçam o comprometimento da empresa com o desenvolvimento de inovações que permitam o incremento da produção de soja no Brasil. A BASF acredita que é possível produzir cada vez mais com uso de tecnologia e realizando o manejo eficiente das plantações, sem aumentar a área de cultivo.

“O Desafio é um fórum de inovação aberta que cria uma competição positiva entre os agricultores, em que todos saem ganhando. A busca por novos patamares de produtividade gera conhecimento que é compartilhado pelo Comitê. A premiação contribui para o aprimoramento das práticas de manejo para o cultivo da soja e é um reconhecimento para os agricultores que investem em tecnologia”, afirma Nilson Caldas, diretor de Marketing do CESB e gerente sênior de Marketing da BASF.

Este é o jeito E da BASF, que une produtividade e sustentabilidade. É assim que criamos química para um futuro sustentável e contribuímos para um mundo que ofereça mais qualidade de vida para todos.

São técnicas, tecnologias e uma rede de conhecimentos que possibilitam que experiências como estas sejam compartilhadas. Valorizando o produtor rural como principal fator de transformação no campo, que semeia a confiança com trabalho e determinação e ao fim de cada safra colhe os melhores resultados.