TOP
Brasil

Como as diferenças estimulam a produtividade

 

Diversidade e inclusão são componentes importantes nos negócios de sucesso. Na BASF, a promoção desses valores impulsiona a criatividade e a inovação. Por meio de uma parceria com a organização Integrare, no Brasil, esses conceitos são aplicados em toda a cadeia produtiva, mostrando que é possível combinar rentabilidade e ações sociais.

Desde 1999, o Integrare, Centro de Integrações de Negócios, tem como propósito conectar pequenas empresas de grupos minoritários a grandes instituições. “A nossa missão é promover o desenvolvimento sustentável e oportunidades de negócios para empreendedores pertencentes às minorias”, afirma Umberto Brito, gerente técnico de Relacionamentos Institucionais do Integrare.

A organização, que tem parceria com a BASF desde 2016, já tem mais de mil fornecedores cadastrados dos quais 250, em média, são ativos. “Trabalhamos para analisar o portfólio e entender como é possível incorporar os fornecedores do Integrare. Fazemos sessões de apresentação aos nossos clientes internos, que são as pessoas que demandam os serviços ou materiais”, esclarece Graziella Tramutola, da área de Compras da BASF.

Este é o jeito E da BASF, que une produtividade e sustentabilidade.  É assim que criamos química para um futuro sustentável e contribuímos para um mundo que ofereça mais qualidade de vida para todos.

Para fazer parte dessa rede do Integrare é necessário atender alguns critérios. O empreendedor que detém pelo menos 50% da parte do negócio ou que é sócio majoritário precisa pertencer a grupos de negros, pardos, indígenas ou PCDs (pessoas com deficiência). “Além disso, é obrigatório que essa pessoa tenha voz ativa na empresa. Não adianta apenas assinar seu nome ali, precisa tomar conta do negócio”, explica Umberto.

Em 2017, a BASF negociou € 2,7 milhões com 14 empresas brasileiras cadastradas no Integrare.“A BASF está dentro de um grupo de empresas que hoje estão engajadas, de fato, em praticar a inclusão e vem fazendo isso com muita ênfase, despertando em outras corporações uma vontade de fazer acontecer”, diz Umberto.

Quem são os fornecedores?

Atualmente, do total de empresários cadastrados no Integrare, 77% são negros ou pardos, 18% PCDs e 5% indígenas. Eles atuam em diversos segmentos, como engenharia e arquitetura, comunicação e eventos e informática, sendo que 51% são empresas de prestação de serviços.

Um deles é Gilberto Bispo, de 45 anos. Negro, ele se juntou com Rodrigo Marques para abrir a gráfica Mettagraf em 2004, em Jundiaí, São Paulo. Enquanto o parceiro cuida da área administrativa, Gilberto é responsável pela parte de criação e produção. A empresa começou a trabalhar com o Integrare em 2009 e atualmente é fornecedora oficial dos cartões de visita da BASF. “Ambas me ajudaram muito. Somos dois ex-funcionários de uma gráfica e resolvemos montar a nossa. Não imaginávamos que iríamos atender um cliente desse porte”, conta Gilberto.

A MCM Brand Experience é outra fornecedora do Integrare que é parceira da BASF. Fundadora e CEO da agência de comunicação focada em eventos corporativos, Mônica Schimenes, de 44 anos, sofreu um câncer de mama há 13 anos e, por conta de uma cirurgia reparadora, se tornou PCD. A empresa atende a BASF desde 2009.

“A diversidade é um valor que acreditamos e praticamos. Por isso nos tornamos não só fornecedores, mas associados do Integrare. Entendi que poderia ajudar outras empresas a se destacarem, assim como aconteceu com a gente”, afirma a empreendedora.

Segundo Mônica, para que a inclusão seja colocada ainda mais em prática — atualmente, a agência também tem colaboradores afrodescendentes —, a MCM Brand Experience criou algumas metas. “Queremos contratar mais mulheres e PCDs assim como eu, para que possamos ter uma equipe mais diversa.”

Ação no Chile

A BASF também expandiu sua parceria com a Fundación Integrare, no Chile. Apoiado pelo edital Conectar para Transformar 2018, o projeto tem como objetivo aumentar a competitividade das microempresas de Quinta Normal, comuna de Santiago, onde está localizada uma unidade da BASF.

Neste caso, o foco são empresas lideradas por PCDs, indígenas, imigrantes e, principalmente, por mulheres chefes de família, sendo este o principal grupo cadastrado, representado 90% dos beneficiados. Uma das ações foi a realização de cursos profissionalizantes para destacar os negócios de 35 microempreendedoras, que aprenderam estratégias de vendas e de investimento.

Para saber mais sobre esse programa, escreva para graziella.tramutola@basf.com