TOP
Brasil

Um dia na Mata Viva: alunos ‘respiram’ meio ambiente fora da sala de aula

No município de Santo Antônio de Posse, interior de São Paulo, crianças impressionadas por uma floresta de seis hectares à sua frente. Com mais de 10 mil mudas, a área, localizada na unidade de pesquisa e desenvolvimento da BASF, recebe estudantes do sétimo ano da rede pública para o Programa de Educação Ambiental Mata Viva®. O projeto conta com o apoio da Fundação Espaço ECO (FEE), uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) criada e mantida pela BASF desde 2005, que atua como consultoria para sustentabilidade.

“A ideia era criar um programa de visitação com foco no meio ambiente, para trazer o público local para dentro da Estação Experimental Agrícola da BASF e falar das inovações em tecnologia desenvolvida pela BASF para o desenvolvimento  de agricultura  sustentável”, comenta Tiago Egydio, consultor em Gestão para Sustentabilidade da FEE. A ação teve como exemplo o projeto Mata Viva® de Guaratinguetá, que começou em 1984 no Complexo Químico da BASF.

Este é o jeito E da BASF, que une produtividade e sustentabilidade. É assim que criamos química para um futuro sustentável e contribuímos para um mundo que ofereça mais qualidade de vida para todos.

As atividades em Santo Antônio de Posse começaram em 2013. “Iniciamos o plantio de mudas e ao longo de cinco anos tivemos o cuidado para realizar o reflorestamento nesta área de preservação ambiental”, afirma Tiago. Durante esse período, foram realizadas todo um manejo para potencializar o desenvolvimento das mudas plantadas com supervisão da FEE, até que, em 2018, após a floresta ter sido formada, iniciamos o programa de educação ambiental com as escolas.

Em parceria com a Secretaria de Educação municipal, o projeto foi desenvolvido e implementado pela Fundação Espaço ECO em duas etapas. Primeiro há um engajamento com coordenadores e professores, que precisam realizar exercícios com os alunos dentro da sala de aula. Uma das atividades, por exemplo, é a aplicação de um gibi baseado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), para explicar de forma lúdica o que eles são e por que são importantes. 

A segunda fase é a visitação dos estudantes à Estação Experimental Agrícola da BASF. Durante a visita, as crianças assistem a uma palestra, participam de jogos e realizam dinâmicas em uma trilha dentro da Mata Viva, com foco na conscientização socioambiental dos estudantes – temas como sustentabilidade, reaproveitamento de água e tratamento de resíduos são trabalhados. Desde novembro, seis grupos de estudantes visitaram o Mata Viva® de Santo Antonio de Posse, totalizando 240 alunos, que tiveram a chance de encontrar pássaros, macacos, tatus, borboletas e outras 80 espécies de Mata Atlântica

“O propósito da visita é aguçar um pouco dos sentidos dos estudantes. Apesar de tudo parecer verde, eles ficam muito surpreendidos e curiosos de que cada folha tem uma textura, cada planta tem um cheiro”, conta Luis Gustavo Suzuki, coordenador da Estação Experimental Agrícola de Santo Antônio de Posse e quem acompanha a visitação. As atividades são acessíveis a pessoas com deficiência. “Pensamos em dinâmicas inclusivas para que todos possam participar até mesmo da trilha.”

A iniciativa faz parte da estratégia de engajamento social da BASF, que tem como objetivo ampliar o impacto positivo da empresa ao conectar a resolução de desafios sociais à estratégia de negócio. Com foco em educação científica; empregabilidade; e educação ambiental e proteção dos recursos naturais e da biodiversidade, 410 mil pessoas foram impactadas na América do Sul entre 2016 a 2018.